top of page

Como calcular kWh da conta de luz: consumo, tarifa e impostos

Se você já sabe que o consumo de energia é medido em kWh, talvez você queira saber como calcular o kWh da conta de luz. A fatura de energia é um importante indicador do perfil de consumo de uma casa ou empresa, e sua análise possibilita a reflexão e a adoção de medidas mais sustentáveis e econômicas no uso da eletricidade.


Por isso, neste post explicamos como identificar seu consumo de energia em kWh na conta de luz e como calcular o valor total da sua fatura, aplicando a tarifa da concessionária e os impostos.


Também iremos te ensinar a calcular o kWh de consumo de alguns aparelhos domésticos. Vamos lá?


Se você quiser economizar na fatura de luz e ainda colaborar com o meio ambiente, faça parte de uma cooperativa de energia distribuída. Cadastre-se na nossa plataforma gratuita.


O que é kWh?

Já falamos sobre o kWh (kilowatt-hora) no nosso blog, explicando que ele é uma unidade de medida correspondente à quantidade de energia consumida ou produzida por determinado sistema no período de uma hora.


Um kilowatt equivale a 1.000 watts, e 1 watt vale 1 joule por segundo. Um aparelho de 1kWh utiliza 1.000 watts a cada 60 minutos. Assim, o kWh indica a totalidade de potência utilizada pelo aparelho no prazo de uma hora.


O kWh na conta de luz

O consumo de energia em kWh vem informado na conta de luz. Isso porque a Resolução Normativa Aneel Nº 414 tornou obrigatória a inserção das grandezas e respectivos valores relativos aos produtos e serviços prestados na fatura de energia elétrica.


Por isso, basta consultar sua fatura de energia e procurar pelo número de kWh consumidos no último mês.


A conta de luz também informa a tarifa em reais incidente sobre cada unidade de kWh, os impostos aplicados e o valor da contribuição com a iluminação pública.


O preço total da conta de energia é proporcional ao número de kWh consumidos. A concessionária de energia realiza as medições mensalmente e, se não puder fazê-la, calcula a fatura com base na média aritmética dos últimos 12 meses.


Mas se a sua casa ou empresa permanecer por mais de 30 dias sem o medidor ou demais equipamentos de medição, por qualquer motivo de responsabilidade exclusiva da distribuidora, o próximo faturamento deve ser efetuado com base no custo de disponibilidade (valor mínimo) ou no valor da demanda contratada, para unidades consumidoras do grupo A.


Quanto custa o kWh em reais em 2022?

O valor do kWh em reais é calculado multiplicando a quantidade de kWh consumidos pela tarifa da concessionária de energia. Cada concessionária possui sua própria tarifa, mas ela precisa ser aprovada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).


O custo do kWh aumenta se as bandeiras tarifárias amarela ou vermelha estiverem em vigor. Nessas situações, há um acréscimo de R$ R$2,98 a R$9,79 para cada 100 kWh, de acordo com o tipo da bandeira. Entenda melhor como funcionam as bandeiras tarifárias aqui.


Mas em condições normais de geração de energia elétrica, e em residências normais (unidades consumidoras do subgrupo B1), o custo do kWh em reais em 2022 nas principais concessionárias do Brasil é de:

É importante lembrar que o valor total da fatura de energia leva em conta não apenas a tarifa, a bandeira e o consumo em kWh, como também impostos (ICMS, COFINSc e PIS) e a contribuição com a iluminação pública.


Aparelhos que mais gastam energia

Quem exerce um consumo consciente de energia elétrica e procura economizar na conta de luz deve ficar atento ao tempo de uso dos aparelhos que gastam mais energia dentro de casa. Vamos explicar rapidamente como calcular o kwh da conta de luz referente ao consumo desses aparelhos:


Chuveiro elétrico

Já percebeu que sua conta varia de preço no inverno e no verão? Isso acontece porque no tempo frio tomamos banho quente e consumimos mais energia no chubeiro elétrico, utilizando o modo inverno.


O fabricante informa no manual a potência do chuveiro no modo inverno e no modo verão. Encontrando esse dado, multiplique a potência pelo consumo diário em horas, e depois multiplique pelos 30 dias do mês.


Exemplo:

Chuveiro com potência de 4.500 Watts, ou 4,5 kW

Uso por 30 minutos (0,5 hora) por dia

30 dias do mês

4,5 x 0,5 x 30 = 67,5 kWh

Se o valor da tarifa for R$0,65 por kWh, o gasto com chuveiro nesse mês foi de R$ 43,87.


Ar-condicionado

O primeiro passo para calcular o consumo de energia deste aparelho é saber a quantidade de BTUs do aparelho. Vamos utilizar como exemplo um aparelho de 10.000 BTUs com potência de 1.4kW.


Se ele ficar ligado 4 horas por dia, durante 30 dias do mês, o cálculo será o seguinte:

1,4 x 4 x 30 = 168 kWh


Considerando o mesmo valor de tarifa de R$0,65 por kWh, o gasto com ar-condicionado seria de R$ 109,20.


Geladeira

Esse é um eletrodoméstico que precisa ficar ligado quase o tempo todo, não é mesmo? Então, por regra, os fabricantes já devem deixar visível na embalagem ou no manual o consumo mensal da geladeira.


Após encontrar esse valor, basta multiplicar pela tarifa de energia. Por exemplo:


Geladeira de duas portas, com consumo mensal de 54 kWh

Tarifa de R$0,65

54 x 0,65 = R$ 35,1


Ferro

Esse aparelho também possui uma potência informada na embalagem ou no manual. Depois de encontrar o número, multiplique pelo tempo de uso no mês e pelo valor da tarifa. Por exemplo:


Ferro de passar a seco 1,2 kW

Tempo de uso: 5 horas por mês

Tarifa de R$ 0,65

1,2 x 5 x 0,65 = R$ 3,9


Televisão

Algumas TVs são mais econômicas, como as OLEDs e QLEDs. De todo modo, a potência vem informada no manual ou na embalagem.


Para fazer esse cálculo, basta multiplicar a potência do aparelho em kW pela quantidade de horas diárias e dias de uso do aparelho no mês.


Por exemplo:

Smart TV Led de 117 W ou 0,117 kW

Tempo de uso: 5 horas por dia, ou 150 horas por mês

Tarifa de R$ 0,65

0,117 x 150 x 0,65 = R$ 11,40


Computador

Esses são aparelhos que também são enviados pelo fabricante com a informação do consumo de energia em kWh. Então, basta multiplicar esse valor encontrado nos manuais ou embalagens pelo tempo de uso no mês e o valor da tarifa. Por exemplo:


Computador de 300 W ou 0,3 kW

Tempo de uso: 160 horas por mês

Tarifa de R$ 0,65

0,3 x 160 x 0,65 = R$ 31,2


Como calcular kWh mensal?

A sua fatura de energia já informa a quantidade de kWh consumida por mês na sua residência ou comércio. No entanto, se você quiser calcular do zero seu consumo mensal em kWh, anote a potência dos aparelhos utilizados e o tempo de uso de cada um em determinado mês.


Por exemplo:

Um chuveiro com potência de 4.500 W fica ligado 30 minutos por dia. Em um mês, são 15 horas de funcionamento. Então calculamos:


4.500 x 15 = 67.500 W por mês

67.500/1.000 = 67,5 kWh


Esse esquema deve ser repetido com todos os aparelhos elétricos da casa: ar-condicionado, aquecedor, geladeira, forno e fogão elétrico, micro-ondas, TV, computador, videogame, carregador de celular, lâmpadas e outros. Depois, é só somar tudo.


Como calcular o valor da conta de luz?

Depois de calcular o kWh mensal, talvez você queira calcular o valor da conta de luz. Para isso, basta multiplicar o consumo total da sua casa ou comércio em kWh pelo valor em reais da tarifa cobrada pela concessionária de energia.


Por exemplo, considerando uma tarifa de R$ 0,65 e um total de 200 kWh no mês, o cálculo seria:

0,65 x 200 = R$ 130 no mês


Esse valor será base para o cálculo do ICMS (Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias), que varia de Estado para Estado. E a base de cálculo para o ICMS reduzida do próprio ICMS servirá de base para o cálculo do PIS e do COFINS.


Depois, a fatura de energia terá a soma, ainda, da Contribuição da Iluminação Pública (CID), que é regulamentada por cada município, mediante lei municipal.


Continuando o exemplo anterior, em que o kWh multiplicado pela tarifa deu R$ 130, o preço final seria formado da seguinte forma:


Preço final = 130 + (X% de ICMS x 130) + (Y% de PIS e COFINS x (130 - ICMS)) + CID


Impostos na conta de luz

Em julho de 2022, foi sancionada a Lei Complementar nº 194/2022, que limitou o percentual do ICMS na conta de luz em até 18%. Antes, segundo a Aneel, o ICMS médio no país sobre a fatura de energia era de 21,3%.


Já as alíquotas do PIS/COFINS variam seus percentuais a cada mês. A média, no entanto, de acordo com a Aneel, é de 9,2% ao mês.


Contribuição para iluminação pública

Outro item presente na conta de luz é a Contribuição da Iluminação Pública (CID). Esse valor é calculado com base no consumo de energia local em kWh, multiplicado pela tarifa da concessionária, segundo um percentual definido pela prefeitura.


A Prefeitura de Porto Alegre (RS), por exemplo, definiu o percentual de CID entre 0,5% e 200%, de acordo com o tipo de imóvel (residencial ou não residencial) e a quantidade de kWh utilizada (entre abaixo de 50 e acima de 5.000).


Retomando mais uma vez, nosso exemplo, considerando um ICMS de 18%, PIS e COFINS de 9,2% e CID de 3%, o cálculo seria:


Preço final = 130 + (X% de ICMS x 130) + (Y% de PIS e COFINS x (130 - ICMS)) + CID

Preço final = 130 + (18% x 130) + (9,2% x (130 - ICMS)) + 3% x 130

Preço final = 130 + (23,4) + (9,2% x (130 - 23,4) + 3,9

Preço final = 130 + (23,4) + (9,2% x 106,6) + 3,9

Preço final = 153,4 + (9,80) + 3,9

Preço final = R$ 180,70


Conclusão

Aprendeu como calcular kWh da conta de luz? É preciso considerar a potência dos aparelhos e o tempo de uso no mês e multiplicar esse valor pela tarifa da concessionária de energia. Depois, é preciso somar os impostos e a contribuição de iluminação pública.


Agora que você se tornou um expert em conta de luz, que tal obter descontos na fatura fazendo parte de uma cooperativa de energia distribuída?


Não precisa pagar nada para se inscrever. Basta se cadastrar na nossa plataforma que nós te conectamos às usinas de energia solar.











bottom of page