top of page

Qualidade de energia: saiba o que é, como medir e sua importância

A energia elétrica, seja derivada de fontes renováveis ou não renováveis, pode ser definida como resultado do trabalho realizado pela corrente elétrica. E quando falamos na qualidade de energia, existem muitas definições para esse termo, afinal, são diversos fatores que influenciam em cada uma das fases de consumo, transmissão e geração.


Dois dos fatores mais comuns para um mau recebimento de energia elétrica são a frequência elétrica e a severidade de desvios, que vamos explicar mais abaixo neste artigo. Continue a leitura e saiba tudo sobre qualidade de energia: o que é, como medir e a importância.


Fonte: Wirestock | Freepik


O que é qualidade de energia elétrica?


Para entendermos o que é qualidade de energia, é preciso compreendermos o conceito de energia elétrica e como ela chega até você, consumidor residencial.


Como mencionamos anteriormente, a energia elétrica resulta do trabalho da corrente elétrica que é gerada através da diferença de potencial elétrico, termo também conhecido como DDP. Dessa forma, a energia elétrica sempre é convertida em outro tipo de energia quando encontra um destino final, como um aparelho eletrodoméstico, por exemplo.


Quando a energia elétrica chega ao chuveiro, ela é transformada em calor para esquentar a resistência e aquecer a água. Da mesma forma que, ao encontrar drivers de acionamento de motores, a energia elétrica é transformada em energia mecânica. Percebe como a energia elétrica pode desempenhar diferentes funções?


Justamente por ocorrer essa transformação de energia e pelo longo trajeto percorrido até o destino final para o consumidor, podem ocorrer diversos gaps e desvios que influenciam na fonte de alimentação, que, para ser considerada de alta qualidade e perfeita, deve estar sempre disponível e livre de impurezas.


Portanto, a qualidade de energia é, justamente, quão bem a rede elétrica pode ser utilizada por você, sem interrupções ou desvios.


Qual a importância da qualidade de energia?


Realizar monitoramentos da qualidade é importante para assegurar que as operações que necessitam da rede elétrica sejam sempre atendidas com eficiência e dentro das condições recomendadas para cada área ou aparelho.


Importantes setores, como indústrias de materiais essenciais, hospitais e escolas necessitam de uma carga alta de energia a todo momento e, quando não há qualidade, os serviços realizados por estes setores são afetados diretamente - como no caso de um Hospital.


Quando falamos em indústrias, falamos em um setor que demanda muita corrente elétrica devido às centenas de equipamentos e motores, além da iluminação específica para a execução do trabalho em cada área na empresa.


Logo, priorizar a qualidade pode auxiliar no aumento da qualidade da produção, visto que há menos interrupções e paradas de manutenção na rede, bem como o aumento da vida útil dos equipamentos e componentes elétricos, colaborando para o saving financeiro e o fluxo das dinâmicas produtivas da empresa.


Quando há uma má qualidade de energia, existem muitos contras para a empresa: retrabalho, custos de manutenção, fluxo de caixa reduzido, descumprimento de prazos e entregas além da perda de participação no mercado.


No setor da educação, é primordial o recebimento de energia elétrica com qualidade pois, para o total aproveitamento do ano letivo como foi planejado, por exemplo, deve-se evitar problemas que ocasionam a suspensão de aulas e atrapalham o ensino.


Fonte: Yongnian Gui | Freepik


Já para residências, o recebimento de energia também deve ser de qualidade pois, embora não sejam pontos que demandam muita carga e corrente (logo, a demanda para uma casa é muito inferior quando comparada a uma indústria, por exemplo), ela pode ser suprida sem grandes movimentações e manutenções, tal qual o monitoramento da qualidade também exige menos esforços de sua parte.


A qualidade de energia que chega até você é importante para mensurar a eficiência energética, que é uma atividade que visa melhorar o uso das fontes energéticas através de métodos racionais, ou seja, usar a energia de modo eficiente para obter um melhor resultado.


Porque realizar a medição?


Realizar a medição da qualidade de energia é importante pois é através dela que são identificados vários pontos como:

  • Nível de distorção harmônica: unidade que mede quão linear é o processamento do sinal, seja na chegada ou saída de sinal de um dispositivo;

  • Desequilíbrios da corrente elétrica: aqui entram termos mais técnicos da área de engenharia, como por exemplo, desequilíbrio causado por distribuição irregular de fase e cargas, transformadores instalados incorretamente, linhas aéreas de transmissão com disposição física sem simetria e sem transposição, abertura de condutores, falha em isolação de algum equipamento, entre outros.


Atualmente, existem muitos equipamentos no mercado que você mesmo pode utilizar para realizar a medição da qualidade da energia que chega até sua residência, comércio ou empresa. Por exemplo, o alicate amperímetro é comumente utilizado para medir a corrente elétrica e sua potência, frequência e também o nível de distorção, assim como a continuidade da corrente elétrica que passa na rede.


Uma forma de manter a conservação dos seus equipamentos e aparelhos elétricos é evitar que todos fiquem conectados a uma mesma fonte de energia ao mesmo tempo para que, em caso de interrupções, não ocorra o desligamento total.


Todos esses termos apontados são considerados levando em conta valores mínimos e máximos de variações de acordo com normas e leis vigentes. Para você entender melhor sobre essas normas e como elas são aplicadas à qualidade de energia, vamos falar sobre os principais indicadores da qualidade de energia abaixo.



Indicadores


Foi somente em 1978 que padrões de índices foram inseridos nas normas brasileiras para o controle da qualidade de energia, pelo Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica - DNAEE, Portaria nº 046/78.


Após essa data, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), apresentou normas que obrigavam a revisão, atualização e consolidação dos temas referentes à distribuição da energia elétrica, no ano de 2000. Entenda melhor sobre os principais indicadores:


DEC


DEC é a abreviação de Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor ou Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora. Este indicador mostra a média do intervalo de tempo em que um consumidor ficou sem energia elétrica, sempre levando em consideração interrupções iguais ou superiores a três minutos.


FEC

Já o FEC é a abreviação de Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor ou Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora, e é o indicador que revela quantas interrupções, em média, o consumidor sofreu, sempre levando em consideração interrupções iguais ou superiores a três minutos.


Fonte: Vectorjuice | Freepik


DIC

DIC é a abreviação de Duração de Interrupção Individual por Consumidor ou Duração de Interrupção Individual por Unidade Consumidora. É expressa em horas e centésimos de horas e evidencia quanto tempo, no intervalo de horas, o consumidor ou ponto de conexão sofreu descontinuidade de distribuição de energia elétrica.


FIC

FIC é a abreviação de Frequência de Interrupção Individual por Consumidor ou Frequência de Interrupção Individual por Unidade Consumidora e mede quantas interrupções ocorreram num intervalo de tempo de apuração nos pontos de conexão.


DMIC

DMIC significa Duração Máxima de Interrupção Contínua por Consumidor ou Duração Máxima de Interrupção Contínua por Unidade Consumidora, e expressa quanto tempo contínuo durou a interrupção nos pontos de conexão.



A importância dos indicadores


Os indicadores que explicamos acima são divididos em dois grupos: individuais (DIC, FIC e DMIC) e coletivos (DEC e FEC). A divisão serve para que o controle e monitoramento da qualidade pelo órgão responsável seja feito com constância e baseado em dados reais da população, tanto de forma coletiva (parâmetros amplos), quanto de forma individualizada (identificar possíveis gaps na rede de cada consumidor).


Os indicadores FIC e DIC são medidos em intervalos mensais, trimestrais e anuais. O DMIC é um indicador mensal. Todos esses indicadores podem sem encontrados em sua conta de energia e, agora que você já sabe o que cada um significa, pode interpretá-los da melhor forma para um acompanhamento mais próximo!



Regulamentação da Qualidade de Energia Elétrica no Brasil

Estes indicadores podem ser encontrados de forma pública através de pesquisas nos sites dos órgãos regulamentadores, como a Argenesa (RJ) ou Arsesp (SP), também pela própria ANEEL, além das Secretarias de Energia e Mineração de cada estado.


É importante você saber que a violação dos limites definidos para cada um desses indicadores por parte da concessionária de energia elétrica gera compensações financeiras automáticas para você. É bom ficar sempre atento aos números que chegam em sua conta e monitorá-los pelos próprios relatórios gerados pela ANEEL.


Para a ANEEL, esses indicadores são super importantes para a construção do ranking das distribuidoras de energia elétrica. É através desse ranking que a agência reguladora pode identificar quais distribuidoras e concessionárias de energia possuem mais qualidade em seus serviços.



Sintomas de baixa qualidade na energia

Como já mencionamos, são vários os fatores que indicam a má qualidade de energia elétrica direcionada pela rede até sua residência, comércio ou empresa. Esses fatores podem ser percebidos de forma simples, sem a necessidade de um especialista na área.


Entretanto, pode ser que o problema talvez não seja especificamente a energia que chega até sua residência, mas sim algum erro ou má conservação na fiação elétrica, que podem ser causados pelo tempo/idade da fiação ou a não atualização do material.


Entre alguns fatores que indicam a má qualidade, podemos listar:

  • Queima de aparelhos elétricos, eletrônicos e motores;

  • Oscilação na luz da lâmpada;

  • Falha em transformadores;

  • Curtos-circuitos;

  • Maior consumo de energia sem grandes motivos;

  • Redução na vida útil dos aparelhos elétricos, eletrônicos e motores.

Esses são fatores básicos, tanto para residências quanto para comércios e indústrias. Outro ponto importante é a atenção a alguns distúrbios que podem afetar a qualidade, que podem ser caracterizados como:

  • Alterações súbitas nas condições do sistema, podendo ser impulsivo, causado por descarga atmosférica, ou oscilatório, causado por chaveamento;

  • Oscilação e variação de tensão de curta duração;

  • Oscilação e variação de tensão de longa duração;

  • Surtos de elevação de tensão por um curtíssimo período de tempo, geralmente micro ou milissegundos.

Fonte: Jcomp | Freepik


É importante diagnosticar o problema para entender de onde está vindo: interno (seu ambiente) ou externo (rede elétrica). Se o problema for de origem interna, você deve identificar os fatores que podem acarretar a qualidade e solucioná-los.


Agora, se o problema for de origem externa, você deve abrir um chamado na concessionária para que seja instalado um aparelho de medição que vai gerar um relatório técnico do resultado.


Caso seja constatada alguma variação na qualidade, saiba que você tem direito a receber uma recompensa pela qualidade que foi perdida nessa variação, além da adoção de medidas corretivas e preventivas por parte da concessionária de energia.


Essa solução é importante para que, dessa forma, você preserve as características dos seus equipamentos e da qualidade de energia que chega para você.



Como a Reverde pode ajudar?

A Reverde é a ponte entre você e produtores de energia renovável, que depositam a energia excedente produzida na rede elétrica da concessionária de energia na qual você é consumidor!


Dessa forma, você garante uma cota de energia limpa sem ter a necessidade de instalar placas solares e realizar a manutenção desses equipamentos.


Entrar para o movimento Reverde não muda absolutamente nada no recebimento da energia elétrica que você possui hoje, e não interfere na qualidade de energia da rede!


Pelo contrário, a qualidade pode ser melhorada, visto que a fonte de energia depositada na rede elétrica será limpa, originada de fontes renováveis que não intensificam o impacto ambiental.


Esse processo contribui para a não emissão de gases causadores do efeito estufa e para a redução da pegada de carbono.


Outros fatores positivos que contribuem para a qualidade quando cotas de energia limpa são depositadas na rede elétrica são:

  • Custo muito mais baixo quando comparado a eletricidade gerada a partir de fontes não renováveis;

  • Diversificação da oferta de energia, gerando novos negócios e empregos;

  • Contribuição para um planeta mais sustentável de modo geral, de forma simples e rápida, 100% digital.


Saiba mais sobre a Reverde e como podemos te ajudar a obter descontos na conta de energia mantendo hábitos sustentáveis, acesse nosso portal!



bottom of page