top of page

Como funcionam as soluções de energia que dão desconto em conta? Existem riscos?


Fonte: Vitapix / Canva.com

Você já ouviu falar sobre geração de energia compartilhada? Empresas em grandes estados brasileiros estão oferecendo a possibilidade de se associar a uma cooperativa de energia para produzir energia solar sem precisar instalar painéis fotovoltaicos no telhado de sua residência.

E ao se tornar um produtor de energia solar junto a uma cooperativa de energia é possível economizar até 15% em sua conta de luz todos os meses, independente da bandeira tarifária vigente e se está sendo cobrada uma tarifa por escassez de água.

Geração de energia compartilhada: Como funciona?

A geração de energia compartilhada funciona da seguinte maneira:

  1. Você acessa o site da empresa que está oferecendo o serviço de geração de energia compartilhada em seu estado e realiza um cadastro. Em seguida, você preenche as informações relacionadas ao seu perfil energético, que é a média do consumo de eletricidade mensal.

  2. Após o cadastro, você deverá escolher entre as opções de plano que, geralmente, variam de acordo com a duração do contrato e o percentual de desconto, que pode chegar a 15% do valor total da conta de luz.

  3. Após escolher um plano, você se torna associado a uma cooperativa que produzirá energia limpa em seu nome e fornecerá eletricidade para a rede da distribuidora de energia, como a Light do Rio de Janeiro, por exemplo.

  4. Como forma de compensação, a companhia fornecerá o chamado crédito de energia em seu nome, que é usado automaticamente no pagamento da conta de luz mensal.

Ou seja, não é necessário fazer qualquer investimento na compra e instalação dos painéis fotovoltaicos, mais conhecidos como placas solares, pois a energia não será captada em seu telhado, mas em fazendas solares operadas pelas cooperativas produtoras de energia limpa.

Deste modo, não importa se você mora em imóvel próprio ou alugado, casa ou apartamento, desde que a conta de eletricidade esteja em seu nome, é possível se associar a uma empresa que ofereça a geração de energia compartilhada e conseguir o desconto na conta de luz.

O crédito de energia solar é legalizado no Brasil?

O crédito de energia solar é previsto pela Lei Federal 14.300 e regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e o processo é implementado pela operadora de energia elétrica do estado, no caso do Rio de Janeiro é a Light.

Segundo a Resolução Normativa 482/12, toda a energia produzida em seu nome pode ser emprestada à rede pública e devolvida como crédito de energia para gerar uma compensação.

Todo o processo burocrático junto a companhia de energia é feito pela empresa que você escolheu para te representar.

Na Reverde essa solução é focada na pessoa física, o consumidor residencial. O processo é todo digital, do cadastro, adesão ao desconto na conta de luz, tudo é feito pelo aplicativo ou pelo site.

Existe algum risco ao se associar a uma cooperativa de energia solar?

Caso você esteja se perguntando, não existe qualquer risco para o consumidor ao se associar a uma cooperativa. Com a Reverde, por exemplo, você assume um risco limitado a uma cota de R$1.

Em relação à duração dos planos, o mais básico permite o cancelamento a qualquer momento, outros exigem fidelização de 12 a 24 meses. Em relação aos créditos gerados em seu CPF, eles podem ser usados em até 60 meses.

É verdade que ao me associar a Reverde ajudarei a preservar o meio ambiente?

As cooperativas parceiras da Reverde geram energia solar, o que torna essas usinas amigas da natureza. Ou seja, ao se associar a Reverde, não apenas você pode economizar na conta de luz, quanto consegue ajudar na preservação do planeta.

Inclusive, no site da Reverde, você consegue realizar uma simulação de quanto irá economizar em dois anos com base em seu consumo mensal atual. Não apenas a calculadora indica qual será a economia em dinheiro, mas também quanto será a redução de gás carbônico e o número de árvores que serão poupadas no processo.

Comments


bottom of page